“De todos as cores, vermelho. De todas as flores, gérbera.Reza toda noite antes de dormir. E nunca esquece de agradecer pelas bonitezas do dia. Agradece também pelo que é feio, mas engrandece. Acredita que o sofrimento enobrece, mas nem sempre, porque prefere o caminho mais fácil. Põe o pé direito pra fora da cama primeiro (nem sempre). Herdou algumas supertições, além do riso fácil e do olhar ágil. Está sempre apressada e atrasada. Fala mais com as mãos, que com a boca. Pensa mais rápido que fala e quase não fala o que pensa. Aprendeu a ser comedida.  Tropeçou muitas vezes no caminho. Já se apaixonou pra sempre. Já morreu de amor. Não acredita mais em príncipe encantado, mas torce pra que lhe provem o contrário todo-santo-dia.”
(Briza Mulatinho)
Anúncios

Certo dia eu conversei com a Lua,

Pedi a ela que me ajudasse a encontrar

Um caminho certo pra seguir

Motivos e alegrias

De viver

A Lua respondeu com um brilho incomum

Que eu iria encontrar meu caminho

Se seguisse o pulsar do coração,

Sem desistir.

E, em um sopro refrescante,

O vento se apressou na conversa

E espalhou para os quatro cantos

Que para ser feliz basta viver,

Com as vitórias conquistadas,

Dia após dia.

E eu,

Alegre pela prosa,

Me deitei na grama fria

E brinquei com as estrelas,

Crianças de tudo…

Que me lembraram que o mais simples,

 Isso sim,

É felicidade!

Lu

A Pietà de Michelangelo

Imagem

“Madonna” bela de Michelangelo, estás naquela capela da basílica de São Pedro, e cada vez que te olho pareces mais bela. Passam-se dias, anos, séculos, e homens do mundo inteiro e de todas as épocas acorrem para te ver e tu deixas no espírito deles algo de sublime e suave. Dás a quem te admira uma sensação de felicidade: parece que tocas o âmago de toda alma humana, e este raio celeste, que parte de ti, atinge o centro imortal do homem, de todo homem, de ontem, de hoje, de sempre. Quando as tragédias do viver humano me entristecem, quando a televisão com seus programas, me humaniza mas não me eleva, quando o jornal com as suas crônicas sempre iguais me deixa melancólica, quando a dor me atormenta a alma e o corpo, olho-te e me sinto aliviada.

Há em ti algo que não morre.

(…) Hoje, ao contemplar-te, “Madonna” bela, pensava: quão sublime e divino é o efeito de uma obra de arte. Testemunha a imortalidade da alma, porque se o objeto plasmado não morre, é arte justamente por ser imortal – isto é, não passa enquanto existir – quem te fez não pode morrer. Pareceu-me então que a arte se elevasse a alturas incalculáveis e a beleza fosse, assim como a verdade e a bondade, matéria-prima do reino celeste que nos espera, e tive a impressão de que, sem saber, os verdadeiros artistas têm uma missão apostólica.

(…) Em todo caso, basta que o artista plasme na obra a sua alma. E a alma do artista, ainda que seja ateu, é imortal.
A alma é imortal porque é “una”.  Por ser “una” não pode desfazer-se, dividir-se. E aqui está, acredito, a primeira causa da obra de arte.
Se o conteúdo da filosofia é a verdade, o conteúdo da arte é a beleza. E a beleza é harmonia, o que significa “altíssima unidade”. Ora, quem saberá compor em harmonia as cores e os elementos de uma pintura senão a alma do artista, que é “una”, à imagem de Deus que a criou?

É a alma humana, reflexo do céu,  que o artista transfunde na obra,  e nesta ‘criação’, fruto do seu gênio, o artista encontra uma segunda imortalidade: a primeira em si, como todo homem nascido nesta terra; a segunda nas suas obras, por meio das quais ele se doa à humanidade no decorrer dos séculos.

Talvez o artista seja quem mais se aproxima do santo.  Porque se o santo é aquele prodígio que sabe dar Deus ao mundo, o artista, de um certo modo, doa a criatura mais bela da terra: a alma humana.

Foi isto que meditei diante de ti, “Madonna” bela de Michelangelo. E como a ti falei, a ti faço um pedido: olha os artistas, que te contemplam cada dia, com olhar materno, e sacia esta sede de beleza que o mundo sente. Manda grandes artistas, mas plasma com eles grandes almas, que, com o seu esplendor, encaminhem os homens ao mais belo dentre os filhos dos homens, o teu doce Jesus.

Chiara Lubich

Pressa

Imagem

E bem já no finalzinho dessa sexta-feira exaustiva, os sentimentos que já me acompanham a alguns dias se tornaram como que um travesseiro que conforta o coração tumultuado de perguntas e silêncios.

É difícil organizar-se por dentro e às vezes por fora também quando a pressa é o tic-tac do compasso dos meus dias. Me perco na pressa. Relutei aceitar, mas fui vencida. Me assumi ausente de mim mesma pois não havia mais tempo de contemplar a avalanche de acontecimentos que me levavam a algum lugar que nem eu mesma sabia onde. Parei na pressa hoje. Na pressa, fui calma. Fui contemplação. Olhar demorado.

Quis ser eterninade. Para poder perceber que o meu processo se encaminha sem que eu perceba ou talvez sem que eu intervenha pois sou longe de mim. Desconhecida íntima. E as palavras (as minhas) não sabem ser velozes demais, talvez possuam a baianidade que necessita da pausa para ganhar o embalo e a entonação característica. Quanto mais pressa, mais silenciosa fico. Meus enigmas que não se revelam a mim. Exigem prioridade. Tempo de eternidade.

Parei.

Ao menos tento.

A pausa que  como laço de fita que se desenrola levemente,  se desfaz para que a beleza do presente se revele.

É isso e só. O resto é silêncio ainda. E encanto.

Mulher, seja tudo o que quiser!

Essa Rebeca me apronta cada uma!! Imaginem vocês que hoje, 08 de março de 2012, às 16 horas ela vem me sugerir que escreva uma contribuição para o Giz Colorido sobre o dia das Mulheres. Assim, de supetão!

Primeiro eu me sinto lisonjeado pelo convite. Depois eu senti o peso da responsabilidade de escrever sobre esse tema.

Mulher.

Mulher!

Mulher?

Começo pensando aqui com meus botões: como falar sobre as mulheres generalizando se cada pessoa, homem ou mulher, é um universo? Generalizar citando e exaltando as qualidades que a nossa sociedade considera como femininas não seria uma forma de limitá-las e tentar encaixá-las numa forma?

É óbvio que há diferenças entre homens e mulheres. Físicas, emocionais e de comportamento. Embora, insisto, não haja um padrão exato mesmo dentro de cada gênero.

Eu gostaria de dizer a vocês, mulheres leitoras deste blog, vocês podem ser o que se propuserem a ser, especialmente num país como o nosso, onde vocês já dispõem de considerável liberdade de escolha. Então permitam-se!

Se quiser ser a esposa “virtuosa”, que zela pelo lar, cuida dos filhos e do marido e se isso te faz feliz, que assim seja. Mas se quiser ser independente, profissionalmente bem sucedida e nem filho quiser ter, que assim seja. E se conseguir uma mescla entre uma e outra, por que não? E se puder ser qualquer outra coisa ainda, por que não? Você pode, porque você conquistou esse espaço que nunca lhe deveria ter sido tirado.

No mais, eu só acrescentaria mais uma coisa, mas essa direcionada aos homens: tratem as mulheres como elas merecem ser tratadas: como pessoas, que como tais, tem direito à dignidade, à liberdade, a amar e ser amada como qualquer um de vocês.

Se hoje se faz necessário um dia da mulher, é porque nós, homens, precisamos aprender a dar-lhes o devido valor, como jóias preciosas que são.

Um Feliz dia das Mulheres!

by Carlos Cruz

Uma vida bem colorida!

Cada dia que passa, convenço-me de que a vida é uma singela passagem no tempo.

Passagem essa que pode ser vivenciada de diversas formas, de acordo com a individualidade de cada ser humano.

Pode-se viver isolado do mundo, pode ser mesquinho, pode-se tornar um ser ganancioso, um ser mal resolvido, sem sentimentos bons… mas tudo isso torna a vida – que já é efêmera por natureza – sem graça.

Vive bem aquele que ama.

Vive bem aquele que tem amigos.

A vida pode ser curta, mas se vivenciamos momentos de puro amor, e pura doação do que somos para outra pessoa, sem desejar nada em troca, já valeu a pena cada segundo da nossa insignificante existência.

Um sentimento verdadeiro pode acalentar um coração por uma vida, mesmo que tenha permanecido por pouco tempo.

Uma amizade pode ser eterna, mesmo que as pessoas não se encontrem. O sentimento não muda, somente soma, tornando a pessoa que ama uma pessoa mais completa.

Quando essas duas almas se reencontram, essa amizade verdadeira ressurge, o carinho é o mesmo. A amizade verdadeira não necessita ser vivida todos os dias, são como as estrelas, que se escondem atrás de nuvens:  a gente não vê seu brilho, mas sabe que eles estavam lá, esperando o tempo clarear a noite, para voltar a resplandecer.

Cada palavra e gesto são momentos únicos na nossa vida, oportunidades de decidir o caminho a seguir. Pode soar piegas, mas cada dia é sim um novo começo, e podemos decidir como ser, como viver, como amar.

Como diria meu querido Chaplin: “Cada segundo é tempo para mudar tudo para sempre.”

Eu escolho viver cada segundo como se fosse o último, escolho amizades verdadeiras, sentimentos verdadeiros, uma vida verdadeira. Uma vida bem colorida!

Lu

Como dizem que o ano só começa após o carnaval, aqui no Giz Colorido não é diferente, em 2012 aguardem super novidades bem coloridas e especiais!

Tudo que podemos adiantar é q nosso cantinho mais que colorido será um cantinho partilhado por todos ainda mais…

Aguardem…

Giz Colorido

The Art of Clean Up

Faz tempo que não escrevo aqui sobre Arte, hoje então trouxe um artista de Arte Contemporânea, um suíço, que além de artista é comediante, e eu diria: um artista, comediante e obcecado por “ordem”.

O nome dele é Ursus Wehrli, autor de um manifesto sobre como manter o mundo mais racional e simétrico, é autor do livro de fotografias “The Art of Clean Up” (A arte da arrumação), e as imagens valem mais que qualquer palavras…

 

E, como já disse, Wehrli é obcecado por “ordem”,  arrumou o mundo real, e a história da Arte:

 

Acho fantástico o trabalho desse artista, acredito que minha mãe seria sua fã número um, mas temo em mostrar pra ela, vai que ela tenta segui-lo por aqui.. rsrs…

Lu

Adele

Adele, cantora britânica, com seus poucos 23 anos já faz carreira de dar inveja aos veteranos da música pop internacional.

Ela começou a cantar aos quatro anos, como muitas meninas da “nossa” geração, por inspiração nas Spice Girls (eu mesmo ADORO). Adele confirma que o grupo das apimentadas  foi uma grande influência em relação ao seu amor e paixão pela música, afirmando que “elas me fizeram o que sou hoje”.

Várias músicas de Adele estão no TOPO das paradas, hoje mesmo vi “Set fire on the rain” no Top 5 do canal Multishow. Esse sucesso todo teve o estopim numa aclamada performance ao vivo no BRIT Awards de 2011, a música “Someone Like You” chegou ao primeiro lugar das paradas de sucesso no Reino Unido, enquanto o álbum também permaneceu como número um no país. E, como vivemos, felizmente, num planeta globalizado, sua voz pode ser logo adorada no mundo todo.

 

Do Grammy Awards de 2012, Adele levou seis prêmios, vencendo em todas as categorias em que foi indicada. Ela ganhou em Melhor Gravação do Ano (“Rolling in the Deep”), Álbum do Ano (21), Música do Ano (“Rolling In the Deep”), Melhor Performance Solo Pop (“Someone Like You”), Melhor Álbum Pop (21) e Melhor vídeo musical – versão curta (“Rolling In the Deep”).

E ainda é jovem, tem muito pela frente… esperamos que não seja só um cometa passageiro, e sim que se torne uma brilhante estrela para melhorar o decadente panorama da música mundial.

Lu

Era uma vez uma menina que caminhava na floresta, e ao perseguir um coelho atrasado, caiu num buraco!

A história dela no buraco foi fantástica, mas pense na preocupação das pessoas de fora do buraco. E pense na SAUDADE que as pessoas sentiram…

Essa é a história de Alice, que mora no Pais das Maravilhas, e anda meio sumidinha, perseguindo o coelho… e hoje é aniversário dela!

Uma sumidinha que nos faz falta demais!

Mas nao podemos esquecer de comemorar com ela no Giz, mais uma primavera…

não podemos deixar de reafirmar o quanto ela é especial e essencial para nossas vidas!

E juntamente com um abraço virtual gigante de Feliz Aniversário, desejamos muitas outras primaveras, muitas conquistas e TODA a felicidade do mundo!

Que sua caminhada seja plena de ventos bons e flores no caminho… 

Amamos você, Lice…

Sentimos sua falta, mas estamos SEMPRE comvocê!