Pressa

Imagem

E bem já no finalzinho dessa sexta-feira exaustiva, os sentimentos que já me acompanham a alguns dias se tornaram como que um travesseiro que conforta o coração tumultuado de perguntas e silêncios.

É difícil organizar-se por dentro e às vezes por fora também quando a pressa é o tic-tac do compasso dos meus dias. Me perco na pressa. Relutei aceitar, mas fui vencida. Me assumi ausente de mim mesma pois não havia mais tempo de contemplar a avalanche de acontecimentos que me levavam a algum lugar que nem eu mesma sabia onde. Parei na pressa hoje. Na pressa, fui calma. Fui contemplação. Olhar demorado.

Quis ser eterninade. Para poder perceber que o meu processo se encaminha sem que eu perceba ou talvez sem que eu intervenha pois sou longe de mim. Desconhecida íntima. E as palavras (as minhas) não sabem ser velozes demais, talvez possuam a baianidade que necessita da pausa para ganhar o embalo e a entonação característica. Quanto mais pressa, mais silenciosa fico. Meus enigmas que não se revelam a mim. Exigem prioridade. Tempo de eternidade.

Parei.

Ao menos tento.

A pausa que  como laço de fita que se desenrola levemente,  se desfaz para que a beleza do presente se revele.

É isso e só. O resto é silêncio ainda. E encanto.

Anúncios

Mulher, seja tudo o que quiser!

Essa Rebeca me apronta cada uma!! Imaginem vocês que hoje, 08 de março de 2012, às 16 horas ela vem me sugerir que escreva uma contribuição para o Giz Colorido sobre o dia das Mulheres. Assim, de supetão!

Primeiro eu me sinto lisonjeado pelo convite. Depois eu senti o peso da responsabilidade de escrever sobre esse tema.

Mulher.

Mulher!

Mulher?

Começo pensando aqui com meus botões: como falar sobre as mulheres generalizando se cada pessoa, homem ou mulher, é um universo? Generalizar citando e exaltando as qualidades que a nossa sociedade considera como femininas não seria uma forma de limitá-las e tentar encaixá-las numa forma?

É óbvio que há diferenças entre homens e mulheres. Físicas, emocionais e de comportamento. Embora, insisto, não haja um padrão exato mesmo dentro de cada gênero.

Eu gostaria de dizer a vocês, mulheres leitoras deste blog, vocês podem ser o que se propuserem a ser, especialmente num país como o nosso, onde vocês já dispõem de considerável liberdade de escolha. Então permitam-se!

Se quiser ser a esposa “virtuosa”, que zela pelo lar, cuida dos filhos e do marido e se isso te faz feliz, que assim seja. Mas se quiser ser independente, profissionalmente bem sucedida e nem filho quiser ter, que assim seja. E se conseguir uma mescla entre uma e outra, por que não? E se puder ser qualquer outra coisa ainda, por que não? Você pode, porque você conquistou esse espaço que nunca lhe deveria ter sido tirado.

No mais, eu só acrescentaria mais uma coisa, mas essa direcionada aos homens: tratem as mulheres como elas merecem ser tratadas: como pessoas, que como tais, tem direito à dignidade, à liberdade, a amar e ser amada como qualquer um de vocês.

Se hoje se faz necessário um dia da mulher, é porque nós, homens, precisamos aprender a dar-lhes o devido valor, como jóias preciosas que são.

Um Feliz dia das Mulheres!

by Carlos Cruz

Uma vida bem colorida!

Cada dia que passa, convenço-me de que a vida é uma singela passagem no tempo.

Passagem essa que pode ser vivenciada de diversas formas, de acordo com a individualidade de cada ser humano.

Pode-se viver isolado do mundo, pode ser mesquinho, pode-se tornar um ser ganancioso, um ser mal resolvido, sem sentimentos bons… mas tudo isso torna a vida – que já é efêmera por natureza – sem graça.

Vive bem aquele que ama.

Vive bem aquele que tem amigos.

A vida pode ser curta, mas se vivenciamos momentos de puro amor, e pura doação do que somos para outra pessoa, sem desejar nada em troca, já valeu a pena cada segundo da nossa insignificante existência.

Um sentimento verdadeiro pode acalentar um coração por uma vida, mesmo que tenha permanecido por pouco tempo.

Uma amizade pode ser eterna, mesmo que as pessoas não se encontrem. O sentimento não muda, somente soma, tornando a pessoa que ama uma pessoa mais completa.

Quando essas duas almas se reencontram, essa amizade verdadeira ressurge, o carinho é o mesmo. A amizade verdadeira não necessita ser vivida todos os dias, são como as estrelas, que se escondem atrás de nuvens:  a gente não vê seu brilho, mas sabe que eles estavam lá, esperando o tempo clarear a noite, para voltar a resplandecer.

Cada palavra e gesto são momentos únicos na nossa vida, oportunidades de decidir o caminho a seguir. Pode soar piegas, mas cada dia é sim um novo começo, e podemos decidir como ser, como viver, como amar.

Como diria meu querido Chaplin: “Cada segundo é tempo para mudar tudo para sempre.”

Eu escolho viver cada segundo como se fosse o último, escolho amizades verdadeiras, sentimentos verdadeiros, uma vida verdadeira. Uma vida bem colorida!

Lu